Menu

Categorias

TIBAGI E MILTINHO

01 NOV 2016
01 de Novembro de 2016
Oscar Rosa, o Tibagi nasceu em São Paulo/SP no dia 30 de junho de 1927; e Hilton Rodrigues dos Santos, o Miltinho, nasceu em Goiânia/GO no dia 02 de maio de 1941. 
Tibagi formou de início uma dupla com Zé Mariano: a dupla "Zé Mariano e Tibagi", que gravou na Colúmbia três discos 78 rpm, entre 1954 e 1956, com destaque para a toada "Santa Cruz da Serra". 
Logo depois, Tibagi formou dupla com Pirassununga (Dino Franco), com quem gravou em 1959 na RGE um único disco 78 rpm com o xote "Peão de Minas" e a canção rancheira "Falsos Carinhos". 
O nome artístico escolhido por Oscar Rosa foi em homenagem à cidade homônima no interior do estado do Paraná. 
Hilton estreou profissionalmente aos 17 anos de idade, com seu estilo romântico, interpretando músicas em castelhano, na Rádio Nacional de Brasília/DF, cidade que teve sua construção iniciada 4 anos antes de sua inauguração em 1960. Formou duplas com diversos parceiros até 1959 quando se mudou para a capital paulista. E foi em 1960 em São Paulo, que Tibagi e Miltinho se conheceram e formaram a nova dupla. No mesmo ano, Tibagi e Miltinho lançaram seu primeiro disco 78 rpm, pelo selo Sertanejo, com a guarânia "Sonho de Amor" e a canção rancheira "Sem Teu Amor". Em 1961, gravaram o tango "Taça da Saudade" e a rancheira "Amargura". No ano seguinte a dupla gravou a rancheira "Teu Casamento" e o huapango "Despedida". 
Tibagi e Miltinho também estão entre as principais duplas ligadas à renovação e à modernização da música sertaneja, tendo introduzido guitarras e orquestras em seus arranjos, sem no entanto ferir o estilo. E, juntamente com os precursores Pedro Bento e Zé da Estrada, a dupla também é considerada como grande pioneira da fusão dos estilos sertanejos do Brasil e do México, o que pode ser notado, por exemplo, na interpretação de "Passarinho do Peito Amarelo". O estilo de Tibagi e Miltinho exerceu influência em várias outras duplas, como Belmonte e Amaraí, Léo Canhoto e Robertinho e Chitãozinho e Xororó. 
Entre seus grandes sucessos, destacamos "Cu Cu Ru Cu Cu Paloma", "Pombinha Branca", "Noite Fria", "O Apito do Trem", "Lembranças de Amor", "Pé de Cedro" e "Contigo", entre outros. 
Em 1970 a dupla se separou, e Tibagi passou a gravar com Amaraí. Miltinho por sua vez chegou a formar dupla com Belmonte e mais tarde seguiu carreira-solo com o nome artístico de Miltinho Rodrigues. Tibagi também formou dupla com Niltinho (Mauro Ozelim), sendo que a dupla "Tibagi e Niltinho" gravou 4 LP's entre 1967 e 1978. Alguns CD's de coletânea contém erros gráficos que deixam dúvidas se a gravação foi feita pela dupla "Tibagi e Miltinho" ou "Tibagi e Niltinho". 
Niltinho começou sua trajetória em São Sebastião do Paraíso/MG, cantando com o pedreiro Nino (naquela época as duplas se apresentavam na ZYA-4 - Rádio Difusora Paraisense). Cantou também com um sobrinho dele, Toninho Fernandes. Depois ele gravou um compacto com outro artista paraisense, o Correto. Maurinho foi então para São Paulo/SP, onde cantou com Tibagi durante alguns anos. 
Houve uma época, em que Belmonte e Amaraí estavam separados e Maurinho fez vários shows com Belmonte e, quando estavam selando uma parceria para dupla, ocorreu o acidente com Belmonte." Amaraí também fez vários shows com Maurinho (como era chamado). Maurinho gravou discos também com Amir (a dupla Amir e Maurinho) e Marcelo (irmão de Léo Canhoto e Robertinho).
Maurinho faleceu aos 37 anos, em 1981, de infarto. Tinha uma vida de poucos cuidados com a saúde. 
Entre os diversos sucessos de Tibagi e Niltinho, destacamos "Saudade de Minha Terra", "Lágrimas de Quem Ama", "Venci o Mal", "Esquina do Adeus", "Beijinho Doce", "Mágoas de Boiadeiro", "Rosas Vermelhas Para a Moça Bonita", "Meu Passado", "Esqueça Coração" e "Primeiro a Esposa Depois a Amante", entre outros. 
Entre 1976 e 1978, Miltinho Rodrigues largou temporariamente a carreira artística e foi trabalhar como publicitário em Goiânia/GO, sua cidade natal. E, em 1979, foi convidado para algumas apresentações juntamente com o Trio Parada Dura, em circos, teatros e feiras. Miltinho continua na estrada seguindo carreira-solo, relembrando principalmente os sucessos da dupla com Tibagi. 
Miltinho Rodrigues formou uma dupla com Thivagy (Zé Matão), que gravou em 1995 o LP "Traço de Giz" pela gravadora Sol Maior, com repertório que reúne outros estilos além do caipira raiz. 
Tibagi faleceu em 12 de maio de 2015, aos 87 anos.

Texto - Sandra Cristina Peripato
www.recantocaipira.com.br
Voltar

Tenha você também a sua rádio